0
  • galatium

Histórias dos Marceneiros que nos inspiram



História ganhadora

Autor: Marcus Vinicius/ Salvador-BA


Olá me chamo Marcus Vinicius. Desde a adolescência vivi da música mas entre um período e outro sempre fazendo outras coisas para complementar o orçamento. Trabalhei com vendas de todos os tipos como ambulante mas sempre almejando algo melhor um futuro melhor, sempre acreditando que tinha potencial para algo melhor. Sem ter nenhum direcionamento familiar demorei a descobrir um talento e o gosto pela arte da marcenaria, hoje percebo que sempre esteve em mim escondido, quieto, calado esperando o momento certo para aflorar. Mas isso tudo veio depois de muita dificuldade muita luta muita queda e empurrões maldosos. Trabalhava durante a semana na rua como ambulante vendendo salada de frutas e açaí e aos sábados na feira com minha mãe e queria fazer um curso técnico porém a grana nunca dava para pagar as mensalidades, fui trabalhar vendendo roupas que também não deu certo, sem saber o que fazer ouvi um conselho de minha mãe: (volte a estudar para fazer um vestibular e realize o seu sonho de ser arquiteto).Foi o que eu fiz, me matriculei em um curso pré vestibular do governo e cai pra dentro prestei o ENEM de 2012, bati na trave se não fosse o quase, rsrs, eu entrava no curso de arquitetura, mas não me abati só percebi que tinha condições de passar bastava eu me dedicar mais um pouco. Comecei então a fazer vários curso na área da construção civil já que eu já tinha alguns macetes por fazer as coisas em minha casa principalmente a pintura, fiz cursos de pintor, pedreiro, instalador hidráulico elétrica e várias oficinas na área da construção civil até que no segundo semestre de 2013 fui contemplado com uma bolsa de estudo no curso técnico em edificações pelo sisutec protatec um projeto do governo federal era um sonho começando a se realizar até que para a minha infelicidade eu de outros colegas descobrimos que havia irregularidades no curso e nós não teríamos direito a carteira do CREA, a estágios, muito menos a emprego, foi uma grande decepção procurei os meus direitos e nada adiantou. Sem saber mais o que fazer desiludido com a vida um amigo me chamou para fazer uma trabalho de uns dois meses de cenografia na bienal da Bahia e para a minha felicidade fui chamado para ficar na marcenaria e ai meu amigo começa a minha história de aprendizado e dedicação, usei o que eu sabia e procurei aprender tudo o que eu não sabia.


Esse trabalho me levou a vários outros na área da cenografia, trabalhei em vários espetáculos de teatro,shows,eventos,exposição, curta metragem etc. Procurei investir em conhecimento e ferramentas, toda grana que pegava além de pagar contas juntava para comprar uma ferramenta que estava precisando e assim estou até hoje, e nessa busca por conhecimento descobrir os vários canais de informações e técnicas sobre marcenaria onde acabei também encontrando o seu. Organizei um espaço em minha casa e fui montando uma pequena oficina onde venho fazendo meus trabalhos já fiz de tudo um pouco e hoje estou trabalhando com reaproveitamento de paletes e aos poucos a coisa está melhorando. Trabalhando me lembrei que meu avô parte de mãe que era mecânico e tinha como hobby a marcenaria e meu avô parte de pai era construtor de embarcação, acredito que sempre esteve no meu sangue só esperando de alguma forma eu descobrir, lembrei que quando criança na época construía meus brinquedos como patinete, carrinho de mão,instrumentos de percussão de madeira, lata e plástico de radiografia ,rsrsrs, dentre outras coisas que meninos gostavam de fazer.

Hoje a marcenaria faz parte da minha vida e tenho certeza que nunca mais vou conseguir me separar dela. Hoje estou conseguindo pagar as minhas contas e ter dignidade graças a essa arte que é a marcenaria.


"Espero que minha história de alguma forma ajude alguém que ainda tem dúvida se é capaz, acredito piamente na capacidade humana, desde que haja dedicação e comprometimento naquilo que se propõe a fazer."


Rodrigo muito obrigado por abrir esse espaço para contar um pouco de minha história e desde já agradecer pelar aulas do seu canal, saiba que você e outros tem sido meus mestres. Tive o prazer de conhecer pessoalmente o Adilson Pinheiro em São Paulo da Av. 25 de Março, sou de Salvador BA e estava em São Paulo fazendo um trabalho quando fomos a 25 de Março e em um momento quando eu olho, vi aquele cara baixinho passando na minha frente, eu pensei, tenho que agradecer pelos ensinamentos, não sei se terei outra oportunidade, fui falar com ele, a princípio ele se assustou mas quando eu disse do que se tratava ele se acabou de rir, eu o agradeci pelas aulas e ele me agradeceu por ter ido falar com ele, foi muito legal principalmente por não esperar encontrar com ele justamente ali. Espero um dia quem sabe te conhecer e poder agradecer pessoalmente.


Muito obrigado!




História de Marcelo Ciarantola / Nova Odessa-SP


Comecei a praticar a marcenaria por uma fatalidade do destino. Meu grande amigo Ricardo (uma pessoa muito querida com a qual convivi desde a minha infância) resolveu ocupar sua mente com um hobby bastante diferente da nossa realidade. Enquanto caminhávamos pelas áreas de Administração, TI, engenharia e mecatrônica, Ricardo cansado deste stress causado por toda correria e agitação profissional envolvendo cobranças, responsabilidades, horas incansáveis de trabalho, decidiu que iria mudar sua rotina - pelo menos nas horas vagas - com um hobby que aliviaria seu stress e liberaria sua mente: a marcenaria. No início foi muito criticado por nossos amigos, inclusive eu achei que era uma grande loucura, sair de um trabalho que envolve um grande desgaste mental e emocional para um hobby que ainda trabalharia com a mente e o corpo ao mesmo tempo. Questionei diversas vezes qual era o intuito disto, pois se ele queria aliviar o stress deveria praticar um esporte, ir jogar tênis comigo, mas ele sempre me dizia:


" você precisa sentir a marcenaria, o envolvimento com as ferramentas, sentir cada tipo de madeira que, ao final, dá forma a uma peça única, que foi feita por suas próprias mãos, isto é algo inexplicável... é como uma terapia que alivia nossa carga e transfere para algo que depois de pronto, pode ser admirado por todos! Você descarrega tudo aquilo que pesa em sua mente e dá forma a um objeto único... Simplesmente maravilhoso"


E assim o envolvimento com a marcenaria era cada vez mais intenso. Fez inúmeras peças para nossa turma e deixou um pedacinho dele em cada um dos presentes que fabricou. Infelizmente em um dia trágico, Ricardo veio a falecer em um acidente de carro. A tristeza e a angústia tomou conta de todos nós. Perdemos além de um grande amigo, uma pessoa especial que deixou um pouco de si para cada um dos seus amigos. Passado alguns dias, Dona Nancy (mãe do Ricardo) pediu para que eu passasse em sua casa para conversarmos um pouco. Preocupado com ela, rapidamente compareci a sua residência. Foi quando tive uma grande surpresa em minha vida. Ao chegar ela me convidou a visitar o "cantinho do Ricardo", uma pequena oficina no fundo da sua casa e me deparei com um projeto em andamento que era para mim: uma bancada de trabalho para marcenaria que ele iria me presentear. A emoção tomou conta de mim! Por um momento foi como se eu sentisse a sua presença junto de mim e Dona Nancy me disse: meu filho, esse era um presente para você, para ajudá-lo a esquecer de todo o stress do seu dia a dia. O Ricardo estava fazendo com todo o carinho do mundo, mas infelizmente o destino fez com que você tivesse que terminar seu próprio presente. Fiquei muito emocionado e relutante no primeiro momento. Mas Dona Nancy disse que eu deveria concluir o presente, pois ele iria adorar isso! Neste momento gentilmente ela me presenteou com várias ferramentas dele e com o projeto inacabado do meu presente. Pensei: nossa não tenho espaço espaço em casa, como vou fazer isso? Mas, mesmo assim, terminei a bancada - que não ficou lá essas coisas devido a falta de conhecimento e prática - e, desde então, venho trabalhando como hobbysta e a paixão pela marcenaria tomou conta de mim. Agora estou iniciando a reforma desta bancada, pretendo instalar uma morsa de marceneiro e continuo fazendo meus projetos, tudo graças ao meu grande e querido amigo: Ricardo! Rodrigo este foi o meu contato com a marcenaria. Desejo todo o sucesso do mundo para você e seu canal, assisto a todos os seus vídeos como forma de inspiração e orientação para meus projetos.


Um grande abraço; Marcelo.



Alex Lopes/Itanhaém-SP



Eu sempre tive o dom divino da criatividade e somado a isto a facilidade em lidar com medidas herdadas do meu pai construtor civil, em 1991 com 13 anos saímos de Guarulhos sp por causa do plano Collor, e nos mudamos para o litoral, construímos algumas casas inclusive a nossa, eu nunca deixei de desenhar ate aos 16 anos ter a oportunidade de entrar numa escola comunitária de marcenaria, onde eu conheci o meu grande mentor SR Raymundo Biancardy, e ele além de me ensinar tudo sobre a marcenaria me deu toda liberdade para criar tudo o que quis relacionado em madeira, me tornei 1 grande artista plastico, com o tempo a escolinha perdeu patrocínio e fechou, e com a falta de emprego no litoral o que eu fazia apenas como hobista acabou virando profissão, mas sempre mantendo contato com o SR Ray assim como ele gostava de ser chamado, minhas primeiras maquinas grandes eu comprei justamente dele, depois de muita luta em 2005 eu consegui a minha licença para ter uma banca na feira de artes do centro de minha cidade, onde foi que consegui alcançar a minha independência financeira, com isso financiei casa, carro, construí oficina com bastante trabalho. Em 2010, o SR RAY veio a me procurar perguntando se a casa que eu morava nos fundos se minha mãe alugava para ele, pois a casa que ele morava nos fundos tinha sido vendida e ele tinha poucas semanas para deixar a casa, minha mãe infelizmente não o aceitou alegando que não queria 1 idoso em seu quintal, então levei a noticia ao SR RAY, ele disse não ter para onde ir, os 2 filhos dele ja grande alegaram não ter espeço em suas casas, então sem pensar 2 vezes eu disse: o senhor ira morar comigo. coloquei todas os seus pertences dentro de minha antiga towner, trouxe ate a minha casa, contratei 1 pedreiro e ele construiu em 3 dias 1 quarto e 1 banheiro dentro de minha oficina, ele morou comigo por 3 maravilhosos meses e eu pude cuidar do homem que me ensinou a produzir meu próprio pão, e aos 74 anos ele faleceu, e eu mantenho o seu quartinho na minha oficina, pois este é o meu maior orgulho na minha profissão, poder ter retribuído tudo a quem 1 dia me ensinou minha pagina comercial é esta: https://www.facebook.com/alex.fabrica.de.artes/



Reinaldo dos Santos/Campo Grande - MS


Sabe aquele desejo de aprender uma profissão que vc ama mas não sabe por onde começar. Assim aconteceu comigo. Eu já trabalhei desde dos meus 16 anos como costureiro, também trabalhei de ajudante de cozinha, como chapeiro e pasteleiro, com lanches e cachorro quente, tapeceiro, servente de pedreiro, cabeleireiro e barbeiro, desenhista, balanceiro em fábrica famosa aquela que começa S, ajudante de marceneiro e por fim marceneiro. Mas no ramo de marcenaria comecei assim. Eu estava parado sem serviço morando em outra cidade do meu estado,( Fatima do Sul), quando derrepente eu pensei comigo será que aquele fábrica de móveis não está precisando de um ajudante, mas receio-o pois não sábia nada da profissão, mesmo assim fui lá falar com o dono porque essas coisas é bom falar com o dono. Assim eu fiz, fui conversei com o Reginaldo um dos dono contei um pouco da minha história pra ele, eu creio que ele viu minha sinceridade e me disse que ia falar com seu irmão e que depois me ligava e eu fiquei naquela expectativa. Então me ligaram e me chamaram pra conversar eu fiquei super feliz e tenso pois se tudo desse certo eu iria entrar num mundo que não era meu. Chegando lá contei minha história novamente ao o Gennis, ele disse vc pode começar amanhã? Eu falei sim posso sim, ai quando tava saindo ele disse mas agente não acertou um valor, então eu disse é verdade e rimos, ele me disse assim, vou te pagar um salário pra vc aprender, aquilo foi demais, olha como Deus é fantástico eu não tinha trabalho e ia ganhar pra aprender. Antes deles abrirem a marcenaria eu já estava lá cedinho. No primeiro mês eu tive aumento de salário ganhei 50,00 reais a mais porque eles viram a minha vontade de aprender, e assim foi nos meses seguintes. Fiquei la quase um ano e tive que mudar de cidade. Consegui emprego de ajudante de marceneiro em Dourados pra onde mudei. No dia em que passei lá pra ver um serviço o patrão ia levar um material pra queimar em uma olaria, vendo eles fazendo força pra colocar aquele material encima do carro não pensei duas vezes pra agir. Ele pediu que entrasse no carro pra conversarmos então eu entrei, ele então me disse gostei de vc um cara com inciativa, pediu meus documentos pra assinar a carteira, levei tudo e assinou como marceneiro. Aquilo foi de mais em pouco tempo eu já tomava conta sozinho da marcenaria. Até hoje trabalho nessa profissão, amo o que faço, sofri apenas três acidentes mas não perdi nem um dedo,acidentes bobos coisas de aprendiz, não gosto de gente que desvaloriza nosso trabalho nem de pessoas da área que não se valoriza e estraga os demais companheiros. Essa é a minha história, com fé em Deus crendo em Jesus Cristo e buscando aprender cada vez mais, errando sim, mas procurando acertar mais do que errar.


Um abraço a todos e fiquem com Deus.

66 visualizações

© 2019 por Marcenaria Amadora. Criado por Galatium.com.br

FAQ   |   Envio e Devoluções   |   Política de armazenamento  |   Formas de pagamentos

Logo Marcenaria Amadora Horizontal-02.pn