0
  • galatium

Máquina portátil ou de bancada, eis a questão

Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar de forma geral as principais características existentes para os grupos de máquinas portáteis e de bancada, suas semelhanças e diferenças, e suas aplicações na atividade amadora.


Introdução:


Uma das maiores dúvidas que pode surgir quando se está iniciando na arte da marcenaria é: qual máquina melhor atende as necessidades? indo um pouco além, a palavra “necessidade” não se resume apenas no trabalho que a máquina pode ou não realizar, mas se estende a outras questões como: custo, porte, precisão, qualidade, habilidade mínima para uso, manutenção, nível de ruído gerado, etc.


Antes de realizar qualquer investimento ao comprar uma máquina, é importante analisar com cuidado alguns fatores para evitar frustrações e também desperdício de dinheiro.


Máquinas portáteis



​​Como o próprio nome já diz, esse grupo se carateriza pela portabilidade. Essas máquinas foram desenvolvidas para executar trabalhos em locais onde o acesso pode ser um fator limitante. Um bom exemplo desse ambiente é a cobertura de uma casa.


Imagine um carpinteiro realizando a construção da estrutura de madeira de um telhado. A atividade e o esforço necessário para levar a máquina do solo até o local de trabalho em altura, o uso da máquina em espaços reduzidos, a necessidade de uso diversas posições (horizontal, vertical, inclinado, etc e outros fatores requerem máquinas compactas e fáceis de transportar.


Máquinas de bancada



Conhecidas também como máquinas estacionárias, esse segundo grupo foi projetado para ser instalado num determinado local e ser movimentado com pouca frequência. Para alguns equipamentos, até mesmo o seu porte dificulta essa movimentação de uma lado para outro.


Máquinas desse tipo proporcionam um trabalho mais ergonômico também, pois podem ser instaladas e ajustadas para facilitar o trabalho do operador. Como exemplo, pode-se citar as serras de bancada esquadre jadeiras usadas para cortes de chapas.


A altura da mesa, os mecanismos de sustentação de chapas grandes e as mesas deslizantes tornam o trabalho mais confortável e mais fácil de ser executado.


Assista o vídeo abaixo sobre a serra de bancada:



Aplicação das máquinas portáteis e de bancada na atividade amadora


Os detalhes descritos acima para os dois tipos se aplicam também para a atividade hobby, mas existem outros que precisam ser considerados na decisão de compra.


A serra circular, umas das máquinas mais empregadas na marcenaria, é um ótimo exemplo para facilitar o exercício de comparação das categorias.


Porte - diferente do profissional, o amador não utiliza sua máquina com tanta frequência.


O espaço algumas vezes pode ser um problema. Máquinas portáteis tendem a ser menores, ocupam menos espaço e podem ser guardadas facilmente. As máquinas de bancada para hobby geralmente não são pesadas e podem ser também deslocadas sem muita dificuldade, mas requerem mais espaço mesmo quando não estão em uso.



Manuseio - cada máquina tem sua particularidade e sua aplicação. Para se dizer que uma é mais fácil de se usar do que a outra é preciso faze uma comparação justa:


Peças grandes: cortar uma chapa de MDF de 1,83m x 2,75m em partes menores usando uma serra de bancada categoria amadora não é uma atividade impossível, mas é muito trabalhosa pela dificuldade de manuseio numa máquina com mesa pequena. Já com uma serra portátil, até mesmo sozinho o corte pode ser realizado sem muitos problemas.


Peças pequenas: quando a peça a ser trabalhada é muito pequena, a base de uma máquina portátil pode cobrir toda peça não restando espaço para prender a peça numa bancada de trabalho. Para essas aplicações, as máquinas de bancada possuem alguns acessórios que tornam segura a operação com peças pequenas.



Repetições - é muito comum na marcenaria cortar várias peças de tamanhos iguais para algum tipo de aplicação. Ambas as serras podem realizar isso, mas com as serras de bancadas essas repetições são mais fáceis já que o uso de gabaritos combinados com blocos fim de curso possibilitam cortes rápidos e precisos.


Potência - seria um erro dizer que as máquinas de bancada são mais potentes. Ao se comparar máquinas de mesma marca, pode ser que essa afirmação seja verdadeira, mas há máquinas portáteis com potências assustadoras.


Precisão - este é outro parâmetro difícil de se atribuir ao tipo da máquina apenas. Há outros fatores que precisam ser considerados como a habilidade do operador, qualidade da máquina utilizada e o tipo de trabalho a ser executado.


Preço - para uma comparação justa, novamente a questão da marca precisa ser atribuída. Ao se comparar máquinas de mesma marca, geralmente a máquina de bancada tende a custar mais caro que a máquina portátil.


Conclusão:


Em resumo é evidente que cada tipo de máquina possui um tipo aplicação e para algumas situações elas realizam trabalhos com a mesma performance. No entanto, pode haver outras aplicações onde uma máquina não pode ser utilizada por pura limitação mesmo.


Para os hobistas, principalmente os iniciantes, é recomendado fazer uma avaliação de onde e como se pretende usar uma máquina antes de comprá-la. Além disso, avaliar se há espaço para guardar o equipamento em local adequado, se o uso será com frequência para justificar o valor investido. Por último, se de fato a máquina vai agregar valor nos trabalhos.


Como alternativa, pode-se recorrer a alguma oficina profissional e pagar pela execução de um trabalho esporádico ou até mesmo comprar peças pré-trabalhadas. Por exemplo, não se justifica a compra de um plaina desengrossadeira se há madeiras plainadas no mercado.



Vídeos sugeridos sobre o tema:


Serra Circular de Bancada

Gabarito para Serra Circular portátil


Clique aqui para fazer o Download deste artigo em PDF

0 visualização

© 2019 por Marcenaria Amadora. Criado por Galatium.com.br

FAQ   |   Envio e Devoluções   |   Política de armazenamento  |   Formas de pagamentos

Logo Marcenaria Amadora Horizontal-02.pn